terça-feira, 7 de abril de 2009

Ecos da Conferência Internacional da Língua Portuguesa

Em Maio de 2007: entusiasmo e expectativa. Parecia que, finalmente, se ia mexer na areia.
Depois, com o programa, desilusão. Internacional? A internacionalidade resumia-se, aparentemente, à presença de um orador brasileiro.
Depois, ao longo dos três dias da conferência, criei a intuição de que algo ia acontecer. As palavras dos oradores foram certeiras, não deixaram dúvidas quanto ao que havia por fazer.

2008 foi um tempo de espera: parecia que teríamos novos programas, mais carga horária, nova vitalidade para a língua portuguesa nas escolas.

Fevereiro de 2009: chegou-me às mãos o livro de actas. Reli as comunicações. Ainda tão actual. Ainda tão interessante. Ainda tanto por fazer.
As recomendações que resultaram desta conferência podem ser lidas em
http://sitio.dgidc.min-edu.pt/linguaportuguesa/Documents/RecomendacoesCIEP.pdf

Ana Soares

Sem comentários:

Publicar um comentário