quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O Dragão

O conto "O Dragão" foi um feliz acaso. Depois de algum tempo pelas prateleiras da Fnac sem me conseguir apaixonar por nenhum livro para oferecer ao meu filho, encontrei um volume amarelado, fininho e perdido no meio de outros. O ar envelhecido, confesso, atraiu-me. Depois o facto de só ter o preço em escudos (sim, em escudos!) e do mesmo ser irrisório (cento e quinze escudos) fez-me sentar e começar a lê-lo. Poucas páginas lidas e estava decidido. Ía levá-lo comigo. Depois ainda foi preciso descobrir o código do livro e o novo preço (perto de três euros!).
Já em casa, a história fez um sucesso. Uma criança, um dragão e uma aventura. Tudo isto numa escrita FABULOSA que, na minha perspectiva e como leitora assídua dos textos de Luísa Ducla Soares, posso classificar como sendo mais uma das grandes propostas da autora (já aqui vos falei da Fada Palavrinha, lembram-se?). Um universo apelativo num texto belíssimo.







Dois meses depois verifiquei que o livro fora reeditado, agora pela Civilização. Com mais cor e uma ilustração do Melo António muito apelativa. O meu filho pediu que lhe comprasse esta versão também.




Aqui ficam as primeiras linhas desta história:


"Ching-Ling era uma menina que acreditava em dragões.
O pai fazia dragões de loiça.
A mãe bordava dragões de seda.
O irmão dormia num berço com um dragão pintado.
E ela desenhava dragões nas aulas, brincava aos dragões nos recreios, lia até adormecer as antigas histórias de dragões."


Ana Soares

1 comentário:

  1. 2 livros fantasticos, sem duvida. Também são dos meus preferidos

    ResponderEliminar