quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Amar um livro é pedir-lhe que seja sempre nosso, assim, como um amor que se conserva para repetir ou reaprender. Como poderemos jurar fidelidade a um texto que se desliga? Valter Hugo MãeLeia a crónica integralmente aqui 

Sem comentários:

Publicar um comentário