terça-feira, 30 de outubro de 2012

O direito a não emigrar

Ontem, o Papa apelou ao "direito a não emigrar" como um direito fundamental e convidou os os governantes a fazerem tudo para que as populações permaneçam nos seus países.


“Migrar torna-se então um calvário para sobreviver, onde homens e mulheres aparecem mais como vítimas do que como actores e responsáveis da sua aventura migratória”, observa o Papa.

Sem comentários:

Publicar um comentário