quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Só para Pais (com filhos no jardim de Infância)

Anda a correr nos e-mails e desconheço se é de facto uma prosa de Eduardo Sá, mas aqui fica, para a mãe do Afonso e para a mãe do João, dois meninos de três anos que ficam a chorar à porta da sala, mas que depois adoram estar no jardim de infância!
BW

Só para Pais (com filhos no jardim de Infância)
1. "Proibido insultar o jardim-de-infância chamando-lhe "escolinha". Em primeiro lugar, porque é uma escola. Em segundo, porque todas as escolas ganhavam se ligassem brincar com aprender.
2. É proibido que os pais imaginem que o jardim-de-infância serve para aprender a ler e contar. Ele é útil para aprender a descobrir os sentimentos. Para aprender a imaginar e a fantasiar. Para aprender com o corpo, com a música e com a pintura. E para brincar. Uma criança que não brinque deve preocupar mais os pais do que se ela fizer uma ou outra birra, pela manhã ao chegar.
3. O jardim-de-infância assusta as crianças sempre que os pais – como quem sossega nelas os medos deles por mais um dia de jardim-de-infância – lhes repetem: " Hoje vai correr tudo bem!" 4. Os pais estão proibidos de despedir-se muitas vezes das crianças, ao chegarem todos os dias. E é bom que se decidam: ou ficam contentes por elas correrem para os amigos ou ficam contentes por elas se agarrarem ao pescoço deles, com se estivessem prestes a ser abandonadas para sempre.
5. É proibido que as crianças vão dia-sim dia-não ao jardim-de-infância. E que vão, simplesmente, quando os seus caprichos infantis vão de férias. E que não vão " só porque sim". O jardim-de-infância não é um trabalho para os mais pequenos. É uma bela oportunidade para os pais não se esquecerem que se pode amar o conhecimento, namorar com a vida, nunca ser feliz sozinho e brincar, ao mesmo tempo.
6. No jardim-de-infância não é obrigatório comer até à última colher; nem dormir todos os dias. E não é nada mau que uma criança se baralhe e chame pai/mãe ao educador/a (ou vice-versa).
7. Os pais estão obrigados a estar a horas quando se trata duma criança regressar a casa. Prometer e faltar devia dar direito a que os pais fossem sujeitos classificados como tendo necessidades educativas especiais.
8. Os pais não podem exigir aos filhos relatórios de cada dia de jardim-de-infância. Mas estão autorizados a ficar preocupados se as crianças forem ficando mais resmungonas, mais tristonhas ou, até, mais aflitas, sempre que regressam de lá. E estão, ainda, autorizados a proibir que o jardim-de-infância só se abra para eles durante as festas.
9. O jardim-de-infância é uma escola de pais. E um lugar onde os educadores são educados pelas crianças. Um lugar onde todos se educam uns aos outros não é uma escola como as outras. É um jardim-de-infância.
10. Um dia, num mundo mais amigo das crianças, todas as escolas serão jardins-de-infância!"
Por Eduardo Sá

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Parabéns Mafalda!


Hoje a Mafalda faz 45 anos, a primeira tira nasceu a 29 de Setembro de 1964, pela mão do argentino Quino.
Parabéns!
BW

Plano Nacional de Leitura em ... inglês

No sítio do Plano Nacional de Leitura (PNL) existe uma lista de obras recomendadas para leitura no 1º ciclo. Até aqui nada de novo.

A questão é que estas sugestões a que hoje me refiro são de livros em inglês, alguns dos quais até já recomendados por nós, em posts mais antigos.

De início estranhei, confesso. No entanto, até acho que faz (algum) sentido se considerarmos que o GRANDE objectivo do PNL é promover o livro e o gosto pela leitura. Eu achava que era no âmbito da língua portuguesa... mas os seus objectivos vão mais longe!

Ana Soares

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A importância do dinheiro

É o filho daquele de quem se diz ser o homem mais rico de Portugal. Paulo Azevedo, filho de Belmiro Azevedo, estudou em colégios internos ingleses e suiços, não desgostou, confessa; mas não foi essa a opção que fez para os filhos, diz na entrevista à revista Única, do Expresso, de dia 19. Sobre a importância do dinheiro e a sua gestão, conta:
Como é que ele [o pai] vos ensinou a ter respeito pelo dinheiro? Tinha uma mesada?
A estratégia do meu pai foi dar-nos sempre muita responsabilidade. Nós tinhamos um orçamento anual, tinhamos de lhe apresentar um orçamento, as despesas para o ano todo, explicar tudo muito bem, e ele lá desafiava, pedia explicações, cortava mais para a esquerda ou mais para a direita... e depois de aprovado o valor, aquilo tinha de dar para o ano todo.
E permitia-vos orçamentos rectificativos, ou nem por isso?
Não, nem pensar!
Isso a partir de que idade?
Bem, o orçamento passou de trimestral a anual aos 16 anos.
Chegava ao fim do ano com dinheiro, ou ao fim de uns meses já estava aflito?
Não, poupei imenso dinheiro! Também porque comecei a trabalhar.”
Responsabilidade, poupança e trabalho.
BW

domingo, 27 de setembro de 2009

As Avis

As Avis: a novidade da Esfera dos Livros para este mês. Uma obra sobre as mulheres da dinastia de Avis.
A partir do olhar destas rainhas, a historiadora Joana Bouza Serrano dá-nos a conhecer os seus casamentos, que representavam verdadeiros trunfos nos jogos de poder político, os partos sucessivos para garantir a sucessão, a sua dedicação à cultura e às artes, as tradições e costumes da corte e os diferentes acontecimentos políticos que marcaram a dinastia de Avis.

Durante os cerca de 200 anos que durou a dinastia de Avis, que teve início com D. João I, Mestre de Avis, Portugal esteve na vanguarda da História Mundial. Neste período sentaram-se no trono português oito reis e o país conheceu nove rainhas consortes, mulheres que, muitas vezes na sombra, definiram também elas o rumo da História do reino.
Filipa de Lencastre, a mãe da Ínclita Geração; Leonor de Aragão, a Triste Rainha, que foi obrigada a fugir para Castela após a morte do marido; Isabel de Lencastre, que assistiu impotente ao confronto entre o seu pai e o seu marido; Joana de Castela, conhecida como a Excelente Senhora, que, por questões políticas e dinásticas, foi enclausurada num convento; Leonor de Lencastre, que mandou construir o Convento de Madre Deus em Lisboa; Isabel de Castela, filha dos Reis Católicos de Espanha, que morreu ao dar à luz; Maria de Castela, consorte de D. Manuel I, com quem teve uma relação de cumplicidade; Leonor de Áustria, peça fundamental no jogo político do seu irmão, o imperador Carlos V; Catarina de Áustria, avó de D. Sebastião.

O lançamento do livro é dia 1 de Outubro, pelas 18h30 no restaurante do El Corte ingles, piso 7.

A apresentação do livro estará a cargo de Cristina de Sá Carvalho, docente na Universidade Católica de Lisboa.

sábado, 26 de setembro de 2009

Clube dos Poetas Mortos

"I thought the purpose of education was to learn to think for yourself"
John Keating - Dead Poets Society

Período de reflexão







sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O Nuno escapa à gripe A

Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada escreveram O Nuno escapa à gripe A. A história com o aval da Direcção-Geral de Saúde e do Plano Nacional de Leitura, é linear, sem grandes novidades mas permite aos mais novos interiorizar as regras propostas para evitar a infecção com o vírus H1N1. Uma ajudinha para quem está preocupado com a gripe A. A história pode ser lida e ouvida!
BW

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Morreu a primeira Emilia do Sítio do Picapau Amarelo

Reny de Oliveira era a boneca de trapos Emilia, que viamos na RTP, na década de 1980, na série Sítio do Picapau Amarelo, inspirado na obra de Monteiro Lobato. Mas antes dela, Dirce Migliaccio foi a primeira Emilia da Rede Globo. Foi na década de 1970 que interpretou a boneca marota que nem sempre distinguia o bem do mal, mas que tinha um coração imenso.
Dirce Migliaccio, morreu na terça-feira, no Rio de Janeiro, aos 75 anos de idade.

"Marmelada de banana,
Bananada de goiaba,
Goiabada de marmelo,
Sítio do Pica-pau Amarelo (bis)
Boneca de pano é gente
Sabugo de milho é gente
O sol nascente é tão belo
Sítio do Pica-pau Amarelo (bis)

Lembram-se?
BW

O E-mail na Sala de Aula

Teresa Almeida d'Eça apresenta, nesta obra editada pela Porto Editora, várias hipóteses de trabalho com esta nova "ferramenta": o e-mail.

Após uma reflexão sobre o papel das Novas Tecnologias no Processo de Ensino-Aprendizagem no Século XXI, apresenta vários "Projectos Electrónicos"que vão desde do 1º ciclo até ao ensino secundário.

Numa época em que as nova tecnologias vão tomando conta do nosso mundo e do dos nossos alunos, não vale a pena fugir. Há que repensar estratégias e integrá-las nas nossas práticas. Esta leitura pode ser o pontapé de saída.

Ana Soares

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

O João gosta do mar

O João gosta do mar é o título do livro que Francisco Fernandes, secretário de regional da Educação, da região autónoma da Madeira, irá apresentar na próxima sexta-feira, às 17H00, no Fórum Fnac Madeira.
Surgindo na sequência de outras experiências do mesmo autor, como foram o caso de O Diogo quer ser futebolista e A Madalena descobre o basquetebol, O João gosta do mar é um conto “para um público infantil que procura conciliar as aprendizagens e os diálogos no seio da família, com o despertar do interesse das crianças pela prática desportiva, neste caso a vela” e que conta com ilustração de Luísa Spínola.

Paula Rego em entrevista à Pública de dia 13

A sugestão já vem um bocadinho atrasada, mas só esta semana consegui terminar de ler a entrevista de Anabela Mota Ribeiro à pintora Paula Rego. Saiu na Pública do passado dia 13. Aqui fica um excerto, mas recomendo a leitura completa!

"Sabe porque é que gostava tanto dos seus avós?
Então eles estragavam-me com mimos! É tão bom ser estragada com mimos! Acho óptimo! Quanto mais melhor. Adoro mimos. [gargalhada]
Os mimos contrariam a sensação de abandono e medo.
Ajuda muito. É dizer bem. É dizer: “A menina veja lá se consegue cantar.” “Oh, eu não sei cantar.” Põem-me em cima da mesa: “Cante, faz favor, que tem as pessoas todas a olhar para si.” A menina envergonhada não canta. Depois vem para baixo, o avô leva-a ao canto e diz assim: “Parece impossível, a menina não cantar. Eu ponho-a outra vez em cima da mesa e a menina canta.” E o avô põe em cima da mesa e a menina canta. E é uma vitória. Uma vitória que nunca se perde. É o que faz que a gente consiga acabar um boneco; às vezes custa tanto, tanto, tanto acabar um boneco. E consegue porque tem essa recordação. Do encorajamento. O avô estragava com mimos e queria fazer vista com a neta, não é? Mas é bom.
Que canção cantou?
Da Branca de Neve, está claro! [canta com um fio de voz] “When you wish upon a star, no matter who you are, …, your dreams come true.” Já viu? Ainda por cima uma Branca de Neve. Eu não tinha intenções de ser a Branca de Neve, eu queria era ser o Peter Pan.
Para viver para sempre?
Não! Para ser homem! Para ser rapaz a voar. E Robin dos Bosques também.
As raparigas dos contos de fadas são mais chatas.
[riso] Pois é. Fazem muito o bem, põem muitas ligaduras nas feridas dos feridos, mas são um
desastre.
Esse encorajamento, e fazendo a relação com os bonecos, foi essencial. Traduz-se num: vou ser capaz, não vou ser capaz.
Sim! [muito peremptória]
Precisou sempre desse encorajamento dos que estão à volta?
Ah, toda a gente precisa, não sou só eu. Toda a gente precisa de encorajamento para conseguir
fazer aquilo que gostava de fazer."

Tudo tão verdade. E assim se fazem os génios: de mimos, de incentivo, de estímulo, de desafio!
BW

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Os bons alunos são normais

O i fez um trabalho sobre os alunos com melhores médias de admissão ao ensino superior. São miúdos normais, com namorados, amigos, família, saem à noite, mas também fazem voluntariado. Sobre os colegas de turma, um deles diz: "Quanto mais cultos, ambiciosos e interessados eles forem, mais estimulados nos sentimos." É verdade, acontece-nos o mesmo, no trabalho, com os colegas; na nossa vida social com os amigos; na nossa vida privada com a cara-metade e filhos. Por isso, muitos pais continuam a optar pelo ensino privado ou pelas escolas públicas consideradas de referência, para seleccionar o ambiente onde os filhos crescem, para que estejam num ambiente que os estimule não só a ser melhores alunos, mas melhores pessoas.
BW

Caim, o novo romance de Saramago

O Caderno de Saramago fica em stand by, anuncia o último post, ao jeito de despedida. No mesmo texto, o próprio Saramago anuncia também que está já a começar um novo livro.
Entretanto, e em breve, teremos Caim , que vai ser lançado em Outubro. É Pilar del Rio que nos fala dele no blogue da fundação. Vale a pena ler aqui e ouvir o próprio Saramago em entrevista.



segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Caminho das Letras para ajudar os meninos do 1.º ano

O Ministério da Educação acaba de lançar um sítio electrónico designado Caminho das Letras com o objectivo de estimular a aprendizagem da leitura.
O produto resultou de uma parceria entre o Programa Nacional de Ensino do Português (PNEP), o Centro de Investigação para Tecnologias Interactivas – CITI e o Plano Nacional de Leitura (PNL). E foi concebido por uma equipa de especialistas coordenada por Inês Sim-Sim e Carlos Correia, com música original de José Mário Branco e executado por artistas plásticos, actores e técnicos em investigação e desenvolvimento.
Em comunicado, o ministério informa que este portal "oferece às crianças a possibilidade de percorrerem um surpreendente universo de imagens, textos e sons apelativos, que lhes despertarão a curiosidade pelas letras, pelas palavras e pelos textos". Além disso, "oferece aos educadores e às famílias um instrumento educativo, que irão gostar de descobrir em agradável convívio com as crianças facilitando os primeiros passos no caminho da leitura".

domingo, 20 de setembro de 2009

Silêncio

"A coisa mais difícil e mais bonita de partilhar entre duas pessoas é o silêncio."


Miguel Sousa Tavares, No teu Deserto - Quase um Romance, Oficina do Livro, p.97

sábado, 19 de setembro de 2009

Banco Público de Sangue Umbilical

O LUSOCORD é um BANCO PÚBLICO DE SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL, de âmbito nacional, que deverá receber as dádivas de sangue do cordão umbilical (SCU) de todas as mães que o queiram doar para uso em transplantação e investigação.


Ao contrário de outros banco, o Lusocord é gratuito e permite ainda disponibilizar as células estaminais a qualquer doente compatível, a nível internacional.

As grávidas interessadas podem contactar o CHN através do número 225 573 470 ou do e-mail chnorte@hnorte.min-saude.pt

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O meu livro de Política de Jorge Sampaio

É uma colecção nova que a Texto Editora começou, a pensar no público a partir dos 8/10 anos. Jorge Sampaio, o ex-Presidente da República aceitou o desafio e em jeito auto-biográfico escreve sobre o que é a política, o Estado, a Nação, os órgãos de soberania... Tudo temas que podem parecer chatos para os mais novos, mas que se tornam interessantes quando explicados por Sampaio, que recorda a sua infância e as conversas com o pai., mas também a idade adulta e as suas conversas com os filhos!
Para quem acompanhou Jorge Sampaio em algumas visitas a escolas, como eu, recorda a emoção do PR e os seus olhos marejados de lágrimas quando as crianças o recebiam, cantavam o hino nacional, liam um poema ou apresentavam qualquer coisa. Por isso, foi divertido ler as suas memórias, por exemplo, quando tinha sete anos e foi ver o jogo Portugal-Inglaterra, no Estádio Nacional, na década de 40. Pela descrição, não foi difícil imaginar Jorge Sampaio a chorar com os golos marcados pela Inglaterra. O jogo terminou 0-10!
BW
PS: A ilustração é de Tiago Albuquerque.


Paula Rego em Cascais


Inaugura hoje a Casa das Histórias de Paula Rego. Alguns dos seus mais emblemáticos quadros serão neste dia projectados em ecrãs gigantes. É em Cascais, na Cidadela, e a festa da inauguração conta com a participação de Camané. Tudo isto a partir das 22h.
Leia mais sobre a exposição aqui.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer. "
Miguel Sousa Tavares, No teu Deserto - Quase um Romance, Oficina do Livro, p.100

No teu Deserto de Miguel Sousa Tavares: um livro bem mais pequeno que os dois anteriores, mas não menos belo ou intenso. Uma viagem pelo deserto e pelas emoções humanas. Encontros e desencontros. Emoções contidas. Uma reflexão sobre o tempo, a sua passagem, as relações humanas. Uma viagem de Lisboa a Argel. As marcas que a mesma deixa num jornalista e em Cláudia, sua fiel companheira de viagem. O regresso dos dois a Lisboa. As memórias da viagem.

Para ler numa tarde de sol quente.

Ana Soares

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Quem me dera viver no Porto...

Três livrarias do Porto juntaram-se para oferecer um atelier original: cada participante, entre os 6 e 12 anos, vai realizar o seu próprio livro, através da escrita, da ilustração e também do conhecer cada uma das livrarias. É já no próximo sábado, das 15h30 às 18h15. A inscrição custa 7,50 euros e pode ser feita em qualquer uma das livrarias.


Novo Livro de José Luís Peixoto

O novo livro de José Luís Peixoto é sobre a emigração portuguesa para França, onde os pais estiveram antes do autor nascer, mas não é auto-biográfico, afiança. Vai chamar-se Livro e será lançado em Março
“Os meus pais foram para França nos anos 60 e regressaram dois anos antes de eu nascer. Uma das minhas irmãs ainda nasceu lá”, revelou o escritor, de 35 anos, para quem a emigração massiva de há meio século simbolizou “a passagem de uma sociedade rural a uma sociedade urbana”, declarou à Lusa.
Quanto ao título, o autor afirmou que “é justificado em vários momentos ao longo do próprio romance”. O Livro será editado pela Quetzal, que se prepara também para reeditar os anteriores livros do autor.
BW

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Morreu Patrick Swayze

Que atire a primeira pedra a adolescente que não adorou ver Patrick Swayze em Os Marginais, de Coppola (entre outros rapazes, na altura menos conhecidos: Matt Dillon, Tom Cruise, Emílio Estevez, Rob Lowe e Ralph Macchio...), Dirty Dancing, Ghost ou na série televisiva Norte e Sul. Morreu esta madrugada, vítima de cancro no pâncreas, aos 57 anos.
Hoje apetece-me trautear I've had the time of my life...
BW
PS: Entenda-se "a adolescente" por "a actual trintona"! Ou "a adolescente na década de 1980"...

A História de Portugal em formato digital

Na secção infantil da Biblioteca Digital Camões, estão disponíveis vários títulos de colecções do jornal Expresso. Destaco, da colecção "A Aventura dos Descobrimentos", títulos como À Conquista de Ceuta ou Brasil, a Terra de Vera Cruz. De igual importância são os títulos da colecção "Era uma vez um Rei...".

Uma forma agradável para pais e filhos, lendo em conjunto ou ouvindo a leitura de Bárbara Guimarães, fazerem revisões sobre a História de Portugal.

Um interessante recurso para os professores de História, assim com para os de Língua Portuguesa.

Ana Soares

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Nova etapa: ensino superior

"Parabéns pela tua entrada na universidade, que é também a entrada na vida adulta, mais responsável mas também mais bonita", escreveu o meu avô em 1989, por esta altura, num envelope. O meu avô sempre gostou de escrever e de marcar as datas com um pequeno discurso sobre trabalho sério e responsabilidade. Entrar foi uma alegria, mas também uma tristeza. Os amigos ficaram separados, uns entraram em Coimbra, outros em Lisboa, alguns nem sequer prosseguiram. A integração, com praxes à mistura não foi fácil. Hoje, os caloiros têm a vida muito mais facilitada. Conhecidas algumas das causas de insucesso no ensino superior: a falta de integração; as instituições fazem de tudo para que os jovens se sintam bem, conheçam a escola por dentro e por fora, tenham amigos e aprendam a estudar de maneira mais autónoma. "No meu tempo, eramos atirados aos leões, hoje levamo-los ao colo", ouvi alguém confessar por estes dias.
BW

domingo, 13 de setembro de 2009

Os livros: detalhes da vida

"Este livro tem poros. Podemos pô-lo sob um microscópio. Sob a lente, notará ávida, uma agitação constante. Quanto mais poros há, mais os detalhes são vivos, sinceramente anotados por centímetro quadrado sobre uma folha de papel e maior será a verdadeira «literatura». Pelo menos, é a minha definição. Dar detalhes, detalhes tomados à vida. Os bons escritores tocam frequentemente a vida com os dedos. Os medíocres apenas a afloram, de passagem. E os maus violam-na e abandonam-na às moscas."

Ray Bradbury, Fahrenheit 451, Tradução de Mário Henrique Leiria, col. mil folhas,Público, p.87

sábado, 12 de setembro de 2009

Resultados do acesso ao ensino superior

"Viver é um treino e uma aprendizagem... é um exercício de meter no possível os nossos sonhos, os nossos desejos e as nossas ambições, mas sem abdicar deles."
A.A. Baptista, O Riso de Deus
Já são conhecidos os resultados do concurso de acesso ao ensino superior.
O acesso ao ensino superior, sobretudo para aqueles cujas primeiras opções não se concretizaram, tem de ser assim, como Alçada Baptista escreveu num romance: um exercício de meter no possível os sonhos. E assim, quem sabe, descobrir rumos diferentes, vocações inesperadas e novos modos de ser feliz.
Boa sorte para todos. Felicidades.
Ana Soares

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Colocações no ensino superior

As notas dos últimos colocado no ensino superior são conhecidas a partir das 00h00 de sábado em http://www.dges.mctes.pt/, ou aqui.

Recados de um pai que é presidente dos EUA

O discurso de Obama, no início do ano lectivo, feito em directo, para as escolas dos EUA, foi contestado pelos opositores com receio que o presidente aproveitasse para fazer campanha política. Não foi isso que aconteceu.
Ao longo de quase dez minutos, o presidente dos EUA dá as tradicionais recomendações que todos os pais dão aos filhos, no início do ano, ao longo do ano, quando qualquer coisa menos boa acontece, sempre...
Podemos oferecer-lhes o melhor, a escola de topo, os professores mais interessados, os melhores livros, o apoio permanente, nada disso interessa se eles não forem responsáveis e se não quiserem dar o seu melhor.
"Todos temos algo em que somos bons", diz Obama, e, independentemente dos antecedentes familiares ou económicos, não há desculpas para ter maus comportamentos ou para não tentar fazer melhor, continua. E, tal como nós, usa a sua história pessoal para confirmar o esforço que fez, nada se consegue sem esforço, sem trabalho, reforça.
Outras recomendações:
"Não ter medo de pedir ajuda, é sinal de força"
"Não desistir de si próprio".
E termina como nós: "Espero grandes coisas de cada um de vocês!".
BW

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A escola e a gripe A IV

Já me passou o stress das férias! As aulas começaram e estou mais ou menos descansada com a gripe A! Ainda não fomos chamados à escola para as reuniões de início de ano lectivo, mas quem já foi diz que o nível de histeria dos pais é um bocadinho exagerado. Uma reunião das 21h00 às 24h00 só para responder às dúvidas dos pais? Uma mãe de luvas noutra reunião? Um pai que defende mais do que uma sala de isolamento na escola? Só visitas de estudo em espaços abertos para ninguém ser contagiado? Por favor...
Eu quero é que os miúdos andem com as mãos sujas! Ok, não muito! Ler mais aqui e aqui.
BW

Ser resiliente

As pessoas mais felizes e com mais competências "são as mais curiosas, as que aprendem mais, as que têm liberdade de escolha, de vida, de autonomia e de controlo sobre as suas vidas", diz Helena Marujo, psicóloga e investigadora da Universidade de Lisboa, num artigo da Pais & Filhos, de Agosto, sobre a resiliência.
Bom regresso às aulas!
BW

Envelhecer... por Chico Buarque

"(...) com a idade a gente dá para repetir certas histórias, não é por demência senil, é porque certas histórias não param de acontecer em nós até o fim da vida." p. 212


Depois de Estorvo e Budapeste surge Leite Derramado, o terceiro romance de Chico Buarque.


Um homem, velho, no hospital, relembra episódios da sua vida e a história da sua família. Com pequenos capítulos, de agradável e fácil leitura, vamos conhecendo o velho Eulálio nos seus tempos de meninice, juventude e maturidade. Página a página mais cansado, mas com lembranças vivas, embora por vezes pareçam algo delirantes, Eulálio vai-se dirigindo às enfermeiras, filha e potenciais leitores.


Uma edição da D. Quixote, de venda exclusiva em Portugal, mas respeitando a versão original, em português do Brasil.


Ana Soares

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Aprender Matemática segundo Liping Ma

Para a investigadora chinesa Liping Ma o segredo do êxito dos alunos reside, antes de mais, na boa preparação dos professores, que devem ter um conhecimento profundo daquilo que ensinam. Saber e Ensinar Matemática Elementar é o livro - editado pela Gradiva em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Matemática, da colecção Temas de Matemática -, onde a autora estabelece relações entre a formação dos professores, as práticas docentes e a aprendizagem de crianças e jovens, a partir de um estudo que fez.
Saber e Ensinar Matemática Elementar é um livro que aponta, mostrando exemplos concretos, as diferenças entre o ensino na China e nos EUA e Liping Ma defende que os resultados alcançados na China na área da Matemática podem ser explicados pela formação contínua dos professores ao longo dos seu percurso profissional, tanto ao nível da compreensão da disciplina que leccionam como da forma como apresentam a Matemática Elementar aos alunos.
BW

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cultura Online

Consultar a agenda cultural, programações, horários de museus, tudo isto mais fácil no novo Portal da Cultura, hoje lançado. Visite-o aqui.
Especial destaque para o Espaço da Criança neste portal. Para além de apresentar propostas de actividades, é um espaço que convida a comentar obras de arte. Ainda com poucas actividades, mas que se afigura promissor.
Ana Soares

"Pequenas" preocupações

A brincar aos cabeleireiros, as duas primas de nove e sete anos vão conversando.
A mais velha, enquanto penteia os cabelos louros da mais nova, vai comentando: "Quero ser médica, mas se não conseguir emprego, posso ser cabeleireira ou florista..."
"Ou se fores despedida...", responde a mais pequena.
Desemprego e despedimento. "Tão pequenas e com tanto sentido nos problemas do país", espantou-se a avó, que presenciava a brincadeira e reproduziu a conversa, orgulhosa, aos pais.
São as preocupações e a realidade dos jovens licenciados, actuais e futuros, conforme se pode confirmar aqui.
BW

Vem aí um irmão...ou não!

As leituras são também uma forma de preparar a vinda de um irmão ou irmã.

Quando soubemos que ia haver uma mana cá em casa passámos a ler Um bebé na família, das edições Asa, ao nosso primogénito. Conseguimos mesmo que fosse ele a pedir-nos para ter um mano ou mana, como a Miffy, personagem de Dick Bruna.




Para além desta sugestão, adequada para os mais pequenos, há já muitas outras publicações com este mesmo fim. Recomendamos ainda, da Campo das Letras, Matilde - Vem aí um irmão.






Para os que querem mas não podem ter um mano ou mana, recomendamos um livro que encontrámos na Ikea: Francisca e os Irmãos Alces. Nesta história, um pouco non sense, a Francisca quer ter um irmão. E tanto faz que este seja mais novo ou mais velho. Acaba por adoptar, como irmãos, três alces. Entre muita tropelia, Francisca acaba a história a apanhar "caganitas" de alce no quarto (parte do livro que o meu filho disse logo que achava "nojenta" e que ainda bem que este livro era da irmã). A Francisca acaba por se convencer que é muito bom ter amigos na escola e os primos para brincar e assim também esta história sem irmãos tem um final feliz.

Ana Soares

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

O grau zero da expressão plástica

Ateliers de Expressão Plástica e Criativa para crianças dos 12 aos 36 meses de idade. Escovas, esponjas e pincéis, carimbos, pastas e massas, lápis de água e carvões vegetais, e… tintas adequadas para esta faixa etária, confeccionadas através de processos artesanais, à base de produtos alimentares!
Pretende-se colocar a criança numa situação de aprendizagem, com música que a envolva num mundo onde as suas próprias descobertas serão de corpo inteiro e dos cinco sentidos, proporcionando verdadeiras aventuras através das cores, das formas, das texturas, dos cheiros e do paladar.
Coordenação: Anabela Gameiro
Dinamizadora: Leonor Castro MoraisArtista plástica licenciada pela ESBAL com pós graduação pela AR.CO.
Próxima sessão: dia 11 - 18h30 às 19h30
Preço: 15€ (Adulto e Criança)
Inscrições: ESCA — Espaço para a Saúde a Criança e do Adolescente
Tel: 218121743 secretariado@esca.pt www.esca.pt

Tudo tem consequências

video

domingo, 6 de setembro de 2009

Os generosos dias quentes de verão

Os generosos dias quentes de verão
trazem o encontro cíclico da amizade
reúnem na virtude luminosa da alegria
os eternos amigos com quem celebramos
a praia azul da nossa infância feliz
as mãos puras que interrompem distâncias
no esplendor marinho da estação de agosto
a música que navega o ouriço do mar
e a maré vazia que veste o silêncio a manhã
Pedro Crisóstomo, O Mar é a tua Voz, edição de autor


Um poema a celebrar os amigos, a praia e as férias.

Uma amostra do trabalho de Pedro Crisóstomo.
Autor de Algodio, editado pela Campo das Letras, este é o seu segundo livro.
Praia, mar, maresia, amor. Temas transversais aos dois livros.
O primeiro mais heterogéneo na forma e contéúdo.
No segundo, o mar tomou conta da sua voz.

Ana Soares

sábado, 5 de setembro de 2009

As crianças e os medos

Da última vez que fomos à Ikea comprámos uns livros para os miúdos, a preço ikea (1,20 euros)!

O rapaz recebeu o que se chama Francisca e os Lobos. Esta menina, cheia de medos, ficou perdida na floresta. No entanto, tomando os lobos por cães, revelou-se muito confiante brincando com estes animais como se de dóceis animais se tratassem. Gostámos muito. Pena que a tradução não seja maravilhosa.
Uma história para desmontar os medos dos mais pequenos. Para ler a partir dos 4 anos.

Ainda sobre os medos, recomendamos O Pequeno Livro dos Medos, com texto e ilustrações de Sérgio Godinho. Trata-se de uma narrativa que, partindo de uma narração em primeira pessoa , conta a relação particular do narrador com o medo, apresentando, para tal, vários episódios particulares que permitem perceber o seu crescimento interior e a forma como foi lidando com ele. Partindo da definição do dicionário e passando por episódios vários, o conceito do medo vai sendo desmistificado. Mais uma leitura para pais e filhos.

Ana Soares

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pública especial regresso às aulas!

Este domingo, não perca a revista Pública, um suplemento do jornal PÚBLICO, com uma edição especial sobre o regresso às aulas!
Diferenças: O que as crianças estrangeiras pensam da escola portuguesa.
Futuro: Como deve ser a escola ideal?
Fardas: As propostas de Ana Salazar, Ricardo Preto, Storytailors e Katty Xiomara.
Moda: O que os miúdos vão vestir este Outono (do 1.º ciclo ao secundário).
E muito, muito mais! A pensar nos pais e nos filhos que vão recomeçar a escola!

José Luís Peixoto

Quem não conhece a obra de José Luís Peixoto, cujo aniversário hoje se celebra, devia conhecer!
Um escritor português com o dom de colocar nas palavras os mais difíceis sentimentos. Uma contínua surpresa em cada novo título.

Recomendo Cal para uma introdução. Este volume contém um pouco de tudo da sua obra: poemas, textos narrativos, texto dramático.

Aos adeptos do romance sugiro Nenhum Olhar e deixo aqui a sua abertura.

"Penso: talvez o céu seja um mar grande de água doce e talvez a gente não ande debaixo do céu mas em cima dele; talvez a gente veja as coisas ao contrário e a terra seja como um céu e quando a gente morre, quando a gente morre, talvez a gente caia e se afunde no céu. Um açude sem peixes, sem fundo, este céu".
p.9


Aos apaixonados pela poesia recomendo A Criança em Ruínas e deixo aqui um excerto da sua "Arte Poética":

Arte poética

o poema não tem mais que o som do seu sentido,
a letra p não é primeira letra da palavra poema,
o poema é esculpido de sentidos e essa é a sua forma,
poema não se lê poema, lê-se pão ou flor, lê-se erva
fresca e os teus lábios, lê-se sorriso estendido em mil
árvores ou céu de punhais, ameaça, lê-se medo e procura
de cegos, lê-se mão de criança ou tu, mãe, que dormes
e me fizeste nascer de ti para ser palavras que não
se escrevem, lê-se país e mar e céu esquecido e
memória, lê-se silêncio, sim, tantas vezes, poema lê-se silêncio,
lugar que não se diz e que significa, silêncio do teu
olhar de doce menina, silêncio ao domingo entre as conversas,
silêncio depois de um beijo ou de uma flor desmedida, silêncio
de ti, pai, que morreste em tudo para só existires nesse poema
calado, quem o pode negar?, que escreves sempre e sempre, em
segredo, dentro de mim e dentro de todos os que te sofrem.
o poema não é esta caneta de tinta preta, não é esta voz,
a letra p não é a primeira letra da palavra poema,
o poema é quando eu podia dormir até tarde nas férias
do verão e o sol entrava pela janela, o poema é onde eu
fui feliz e onde eu morri tanto, o poema é quando eu não
conhecia a palavra poema, quando eu não conhecia a
letra p e comia torradas feitas no lume da cozinha do
quintal, o poema é aqui, quando levanto o olhar do papel
e deixo as minhas mãos tocarem-te, quando sei, sem rimas
e sem metáforas, que te amo, o poema será quando as crianças
e os pássaros se rebelarem e, até lá, irá sendo sempre e tudo.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A Turma da Mônica e a gripe A



Por aqui, já anda tudo a trautear "Sem abraço, sem beijinho, sem aperto de mão. Não é desprezo, é apenas protecção."
BW

Casais inteligentes enriquecem juntos

Amanhã, pelas 18h00, na Fnac Colombo, em Lisboa, realiza-se um workshop gratuito sobre Finanças Pessoais, destinado a casais, a cargo do consultor brasileiro Gustavo Cerbasi, autor do livro Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, editado pela Livros d'Hoje.
Neste livro são dadas sugestões para todas as fases do relacionamento, do namoro ao casamento, do nascimento dos filhos ao divórcio e à reforma. Administrar bem tanto o dinheiro quanto o amor, pode ser um verdadeiro desafio. O livro contém ainda um teste que avalia a capacidade do casal para construir riqueza. Dão-se dicas sobre tudo, até como se podem dar presentes gastando menos do que ele/ela pensam. “Poupar é um acto de disciplina para garantir uma terceira idade digna”, diz quem considera que a crise é um excelente pretexto para evitar os exageros do consumismo dos últimos anos.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Acordo ortográfico nas escolas - quanto mais cedo melhor

Já aqui manifestei a minha preocupação quanto à entrada em vigor do novo acordo ortográfico, como mãe, como professora, como cidadã.
A Associação de Professores de Português (APP) defendeu recentemente a sua entrada em vigor com os novos programas de Português, ou seja, em Setembro de 2010. Eu concordo. Se é para entrar em vigor, quanto mais cedo melhor. Que sentido faz os miúdos aprenderem (algumas) palavras de uma forma no primeiro ou segundo ano do ensino básico e, logo a seguir, aprenderem que, afinal, já não é assim?
Leia aqui com mais detalhe a opinião da APP.
Ana Soares

A chave secreta para o universo

É uma maneira muitissimo divertida de aprender coisas novas sobre o universo, as estrelas, os planetas, o cosmo. A Chave Secreta para o Universo foi a primeira aventura de Annie, George e o computador que sabe tudo sobre tudo, o Cosmos. Agora, a Editorial Presença publicou o segundo livro de Lucy e Stephen Hawking, chama-se Caça ao Tesouro no Espaço e é mais uma aventura onde a ficção se mistura com factos reais, nomeadamente algumas das mais recentes descobertas sobre o universo.
Stephen Hawking é professor da Universidade de Cambridge e é considerado um dos mais brilhantes físicos teóricos desde Einstein. A sua filha, Lucy ajuda-o nesta aventura de escrever para os mais pequenos, afinal tem a experiência jornalística nos mais prestigiados jornais britânicos e a de escritora. Não é demais falar do ilustrador Garry Parsons e do seu traço leve e criador de figuras divertidas, sem perder o rigor que a ciência lhe exige.
Estes livros são boas opções para os que, a partir do 5.º ano, começam a entrar nos segredos da ciência! O site dos autores também, porque é em inglês!
BW

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Mudar de escola. E os amigos?

É muitas vezes na escola que se criam os primeiros laços de amizade. As diferenças, preferências e afinidades vão-se descobrindo na inter-relação que a escola proporciona. Diz Naouri que esta é uma das primeiras manifestações dos vínculos sociais, tão importantes à construção do ser. Acreditando na tremenda capacidade de adaptação das crianças, destaco também, por outro lado, os fortes laços que os mesmos criam. Para ilustrar isto, aqui fica um excerto do livro Educar os Filhos . Uma urgência nos dias que correm:

"Matthieu estava triste com a perspectiva de mudar de colégio, à entrada do quinto ano, devido à mudança da família. Ia, se não perder os amigos, que a mãe lhe dissera que podia continuar a ver, pelo menos estar menos vezes com eles. Mas quando voltei a vê-lo no mês seguinte, tinha-se adaptado perfeitamente à nova turma:

- O que foi bom foi a surpresa que tive. Reencontrei um amigo que não via há muito tempo.

-Ah! - repondi-lhe eu - , desdea primária ou desde a infantil?

- Não, um amigo da creche!" (p.256)

Ana Soares